sexta-feira, janeiro 12, 2007

a fórmula de Deus

terminada uma complexa leitura pelos campos da matemática, da física e da metafísica, respiro finalmente. esta fórmula de Deus – não o Deus da Bíblia, claro está – é uma viagem alucinante por caminhos tão circunspectos e sinuosos que, por vezes, me vi tentado a retardar caminho e gozar do descanso de outras leituras acocorado à beira da estrada.

uma leitura activa, interessada e curiosa demora largos dias. para um leigo como eu, perfeitamente ignorante à vista da sabedoria do Universo, a assimilação de teorias e teorias, testadas e comprovadas por equações e fórmulas matemáticas, pode ser – e é garanto-vos eu – uma árdua tarefa.

no final, contudo, e como em poucos livros, dei por mim a reflectir sobre o universo e o papel do homem no mundo. e senti-me ainda mais pequenino e amedrontado. a teoria do universo efémero, do Alfa e do Ómega, da inteligência artificial, do determinismo das coisas, do hardware e do software, são realidades tão distantes ao comum dos mortais, mas tão verdadeiras à luz do conhecimento, que, no mínimo, chocam e afligem.

para lá disso, dessa intensa leitura, fica a verdade maior, a única que talvez sirva o sumário da aula: tudo tem um princípio e um fim, mas no instante da vida a busca do homem não fará qualquer sentido se a ela não adicionarmos a causa do amor.
imagem: [Sem título, Luis Pereira]

1 comentário:

Secreta disse...

O Amor dá sentido à vida , à nossa existência ...
Estamos sempre a aprender , não é ? :)

Beijito.